despair-513529_640

A Bíblia faz distinção bem clara entre remorso e arrependimento.

II Co 7:9 – A tristeza segundo Deus produz um arrependimento que leva à salvação e não remorso, mas a tristeza segundo o mundo produz morte.

Os dois sentimentos são marcados por grande tristeza e aflição, porém são completamente diferentes um do outro. Primeiro a tristeza ou remorso do “mundo” não produz mudança  verdadeira, mas o arrependimento produz. Por quê? Remorso é tristeza pelas consequências de um pecado, mas não pelo pecado em si. Se não houver consequências, não haverá tristeza. Não existe tristeza pelo que o pecado é em si, por ele afligir o coração de Deus e profanar o nosso relacionamento com Ele. O foco da dor do remorso é todo horizontal – “do mundo” – e nem um pouco vertical – interessado no modo como o pecado afeta nosso relacionamento com Deus. Portanto, assim que as consequências passam, o comportamento ruim ressurge. O coração não ficou enojado com o pecado em si; então o pecado continua em enraizado nele.

Segundo, a tristeza “do mundo” gera remorso, mas o arrependimento afasta todo e qualquer remorso quanto ao passado. Por quê? Porque o arrependimento genuíno se concentra em um único resultado permanente e real do pecado – a “perda”(afastamento/ruptura da proximidade) do Senhor. O arrependimento sempre nos capacita a aceitar e “deixar para trás” o que aconteceu. Ao entender que Deus nos perdoou e que não o “perdemos”, sentimos que os resultados terrenos são mínimos em comparação com as consequências espirituais. Pensamos: Mereço coisa pior do que isso. Jesus sofreu o verdadeiro castigo que jamais me atingirá (verdade só para os cristãos).

Depois do arrependimento verdadeiro e da restauração feita por Deus, não nos detestamos nem detestamos nossa vida. Quando alguém se desespera é porque transformou outra coisa, e não Deus, em seu verdadeiro Deus e Salvador ( dinheiro, amigos, profissão, família, prazeres). Essa pessoa criou um ídolo, e é impossível se recuperar de sua perda se não houver REPÚDIO de tal ídolo.

O remorso tem tudo a ver com o nosso ego: estou sendo injustiçado, minha vida está em frangalhos, meu coração é só lágrimas. O arrependimento, porém, tem tudo a ver com Deus: Ele foi ferido em sua natureza de Criador e seu valor como Redentor está sendo rejeitado, seus atos Salvadores contínuos estão sendo banalizados (desprezados) e usados de forma manipuladora.

Extraído e adaptado de Juízes para você, Vida Nova, Tim Keller.

Fonte: Cristianismo em Foco

Tagged with →  
Fale conosco!