relay-race-655353_640

Hoje vivemos tempos em que as pessoas vivem buscando a superação, ir além dos limites e serem vencedores.

Alguns superam limites profissionais, fazem cursos, sujeitam-se a trabalhar o dia inteiro, saem do trabalho direto para um curso qualquer, chegam em casa depois da meia noite, saltam refeições, negligenciam família e fazem investimentos financeiros pesados nos negócios. Tudo para subir um cargo, galgar um degrau mais alto na hierarquia da empresa, etc.

Outros superam limites físicos, seja no esporte ou no cuidado do corpo. Fazem academia, se sujeitam a acordar de madrugada, ou, trabalham o dia inteiro e seguem direto para malhar na academia, saltam refeições, ou então comem as coisas mais esquisitas em pó, negligenciam família, fazem investimentos financeiros pesados em cirurgias plásticas, esteticistas, etc. Tudo para ganhar uma medalha, um corpo mais bonito, etc.

E para adquirir mais bens? Fazem economia rigorosa, se sujeitam a trabalhar dobrado, diversas horas extras, dois empregos, quase nem vão para casa, saltam refeições, negligenciam família, não saem com os amigos, trabalham no fim de semana, tudo para comprar um carro, uma casa, um celular, tênis ou roupa de marca, uma viagem, etc.

Realmente vale a pena?

Muitas pessoas superam vários limites para coisas supérfluas, em busca de conquistas pessoais, ou seja,  daquilo que lhes beneficia. Aquela empresa que ela tanto se dedicou, logo na primeira crise ou nos primeiros anos de envelhecimento, a demite, sem nem dizer obrigado. Por mais que lutemos, o corpo envelhece, as rugas chegam, os ossos enfraquecem, o cabelo cai, os dentes também, e por mais cuidadoso e atlético que ela tenha sido, as doenças e a morte chegarão, até para o mais exímio ginasta. Os bens também se corroem, o carro bate, quebra, envelhece, perde valor de mercado, a casa, as roupas, etc., seguem o mesmo caminho, as viagens ficam na memória, mas também acabam por cair no esquecimento, e são à vezes só mais uma foto na parede, por fim, tudo aquilo que o ser humano supera, acaba por superá-lo.:

No entanto, não vejo essas mesmas pessoas superando limites espirituais: galgando degraus mais elevados no céu ou fazendo de tudo para vencer os limites de sua fé. Não as vejo investindo horas em oração, saltando refeições para jejuar, investindo seus bens materiais em coisas eternas, se dedicando com o mesmo esmero no estudo da Bíblia, na frequência da Escola Dominical e na atenção à mensagem pregada no culto. Não as vejo se dedicado com o mesmo empenho em pastorear seus filhos, no discipulado, no culto familiar. Não as vejo investindo todos os seus dons e talentos no serviço da Igreja, quanto no serviço da empresa. Sempre estão sem tempo para orar, ler, estudar, jejuar, etc. Cansados demais para estudar a Bíblia, ir à igreja, servir em algum ministério.

Superando o mais importante

Enfim, pobre ser humano, que dedica sua vida, que se desgasta ao máximo com coisas que, ainda que tenham certa importância, são fugazes, deterioram e acabam. Tanto tempo, dinheiro, esforço, sacrifício pessoal e desgaste, para no fim, tudo isso ser corroído por ferrugem, traça, vermes, etc. Além disso, no que eles buscam superação, acabam por perder o mais importante, por se superarem no supérfluo. Acabam por perder o casamento, os filhos nas drogas, a saúde, a paz… Quanto mais se superam nessas coisas, menos têm o que realmente importa. Acabam depressivos, doentes, sozinhos, ou solitários no meio da multidão, infelizes, a cada cargo subido, a cada músculo conquistado, a cada bem comprado, mais vazios se sentem e menos felizes estão.

Feliz daquele, que já entendeu, em Jesus Cristo, que vale mais ter como foco o Reino de Deus e Sua Justiça e que está ajuntando tesouros nos céus. Feliz daquele que ainda aqui, não é daqui. Feliz do ser humano que se libertou da pobreza, dos tesouros da terra, para adquirir os preciosos tesouros do céu.

Se isso ainda não aconteceu com você, ore, busque em Deus um caminho, se entregue à Ele, clame por misericórdia, busque fazer um discipulado, invista nas coisas que levam aos tesouros que duram para sempre.

Fonte: Cristianismo em Foco

Tagged with →  
Fale conosco!